EN PT
em associação com EUeBooks Logo EUeBooks Logo
Em associação com euebooks: european ebook distributor
Acesso em trial para a comunidade B-ON

Leitor online

(Não necessita de software específico)

APP

Disponível no Google Play
capa
Alfredo Margarido (1928-2010): um pensador livre e crítico

Autor(es): Comis. cient. Isabel Castro Henriques; coord. Fátima Lopes; Manuela Rêgo; colab. Almerinda Graça; Gina Rafael
Editor: Biblioteca Nacional de Portugal
País de publicação: Portugal
Edição: 1
Ano de publicação: 2012
Idioma: PT
ISBN: 9789725654774
Numero de páginas: 346
LER

Ficcionista, ensaísta, poeta, crítico literário, jornalista, tradutor, artista plástico e estudioso de problemáticas africanas, Alfredo Margarido, iniciou a formação académica na Escola de Belas Artes do Porto. O exílio levou-o para Paris (1964), onde se formou em Sociologia na École Pratique des Hautes Études, mais tarde École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), cujos quadros veio a integrar como investigador. Enquanto professor, leccionou em várias universidades francesas, em Paris, Vincennes, Amiens, e após o 25 de Abril de 1974, em Lisboa e no Brasil, continuando a sua actividade docente em Paris, na EHESS e na Universidade de Paris I Panthéon-Sorbonne. Da sua vasta obra, muita da qual dispersa por obras colectivas, jornais e revistas culturais e científicas, nacionais e estrangeiros, destaque-se, no ensaio, Teixeira de Pascoais (1961), Negritude e Humanismo (1964), Jean-Paul Sartre (1965), A Introdução do Marxismo em Portugal (1975), Estudos Sobre as Literaturas das Nações Africanas de Língua Portuguesa (1980), Plantas e Conhecimento do Mundo nos Séculos XV e XVI (1989), As Surpresas da Flora no Tempo dos Descobrimentos (1994) ou A Lusofonia e os Lusófonos: novos mitos portugueses (2000). Na poesia publicou Poemas com Rosas (1953) e Poema Para Uma Bailarina Negra (1958). Na ficção, integrou-se na tendência do nouveau roman, publicando No Fundo Deste Canal (1960), Centopeia (1961) e As Portas Ausentes (1963). Com Artur Portela Filho preparou O Novo Romance (1962), texto divulgador dessa tendência literária.
iacervo Copyright ©2014
Todos os direitos reservados